Artigo:

O que é ruído?

02/09/2009

Ruído é a mistura de sons ou tons, cujas freqüências diferem entre si por um valor inferior ao poder de discriminação de freqüência do ouvido, ou seja, é qualquer sensação sonora considerada indesejável.

Efeitos a Saúde

Conseqüências: cansaço, irritação, dores de cabeça, redução da audição, surdez, aumento da pressão arterial, problemas do aparelho digestivo, taquicardia, infarto. As conseqüências dependem do nível de intensidade e do tempo de exposição. O ruído combinado com agentes químicos de efeitos Oto-tóxicos pode causar perda auditiva. Como por exemplo, os agentes Químicos: Monóxido de Carbono, Chumbo, Manganês, Estireno, Tolueno e Xileno. Além de outros agentes ainda em estudo para efeitos Oto-toxicos: Tricloroetileno, Dissulfeto de Carbono, Mercúrio e Arsênio. (Fonte: Livreto da ACGIH 2008)

Medidas de controle do ruído

As medidas de controle do ruído podem ser consideradas basica¬mente de três maneiras distintas: na fonte, na trajetória e no homem. As medidas na fonte e na trajetória deverão ser prioritárias quando viáveis tecnicamente.

Controle na fonte

Dentre as medidas de controle na fonte podemos destacar:

  1. Substituição do equipamento por outro mais silencioso.Balancear e equilibrar partes móveis.
  2. Lubrificar eficazmente rolamentos mancais,
  3. Reduzir impactos na medida do possível.
  4. Alterar o processo.
  5. Programar as operações, de forma que permaneça no menor nú¬mero de máquinas funcionando simultaneamente.
  6. Aplicar material de modo a atenuar as vibrações.
  7. Regular motor.
  8. Reapertar as estruturas.
  9. Substituir engrenagens metálicas por outras de plástico ou celeron.

Controle no meio

Não sendo possível o controle na fonte, o segundo passo é a verificação de possíveis medidas aplicadas no meio. Esse consiste em evitar a propagação por meio de isolamento e conseguir um máximo de perdas energéticas por absorção.

O isolamento acústico pode ser feito das seguintes formas:

  • Evitando que o som se propague a partir da fonte
  • Evitando que o som chegue ao receptor

Isolar a fonte

Significa a construção de barreira que separe a fonte geradora do ruído do meio que o rodeia, para evitar que este som se propague.

Isolar o receptor

Construção de barreira que separe a fonte e o meio do indivíduo exposto ao ruído.

O isolamento acústico das fontes ruidosas consiste na colocação de barreiras isolantes e absorventes de som. Melhores resultados serão obtidos se as barreiras forem revestidas internamente com material ab¬sorvente de som (cortiça, lã de vidro etc.) e a face externa, com material isolante de som (paredes de alvenaria).

Deve-se conseguir o máximo de perdas energéticas por absorção pelo tratamento acústico das superfícies. Essa medida é feita revestindo o local com material absorvente de som, no sentido de se evitar reflexão do mesmo.

Controle no homem

Não sendo possível o controle do ruído na fonte e na trajetória, deve-se, como último recurso, adotar medidas de controle para o trabalhador.
Estas podem ser adotadas como complemento às medidas anteriores, ou quando as mesmas não forem suficientes para corrigir o problema.
Como medida de controle no homem, sugere-se:

  • Limitação do tempo de exposição – Consiste em reduzir o tempo de exposição aos níveis de ruído superiores a 85 dB (A), tomando o cuidado para que o valor-limite para exposição a dois ou mais níveis de ruído diferentes não seja ultrapassado.
  • Protetores auriculares – São protetores colocados nos ouvidos do trabalhador, devendo ser utilizados quando não for possível o controle para atenuação do ruído a níveis satisfatórios.
  • Realização de Exames Audiométricos Periodicamente.

Avaliação Ocupacional de Exposição ao Ruído

A avaliação da exposição ao ruído através da utilização de dosímetros permite um diagnóstico mais preciso sobre as reais exposições ao ruído no ambiente de trabalho devendo ser respeitado o ciclo de atividade, pois, considera a real exposição ao ruído a que um determinado GHE ou GSE (Grupo Homogêneo de Exposição ou Grupo Similar de Exposição) estão exposta durante sua jornada de trabalho. Porém, os ajustes iniciais do dosímetro devem levar em consideração o tipo de legislação ou norma que serão utilizados para julgar os resultados, uma vez que os critérios podem ser muito diferentes para cada caso analisado (ver tabela “A”).

Existem algumas formas amostrais que podem ser seguidas durante a verificação de exposição ao ruído, conforme estratégia de amostragem:

Estratégia de Amostragem: Processo de conhecimento progressivo das exposições dos trabalhadores, incluindo todos os passos qualitativos e quantitativos para a condução de seu julgamento e controle, de forma a assegurar a todos os expostos um padrão corporativo, mantendo tais exposições dentro de critérios de tolerabilidade definidos”.

  • Amostra Pessoal – Amostra tomada de maneira que o amostrador é portado pelo indivíduo amostrado, e situado na zona corporal de interesse (por exemplo, zona auditiva).
  • EMR – Exposto de Maior Risco – É o trabalhador de um Grupo Homogêneo de Exposição que é julgado como possuidor da maior exposição relativa em seu grupo.
  • Grupo Homogêneo de Exposição – Corresponde a um grupo de trabalhadores que experimentam exposição semelhante de forma que o resultado fornecido pela avaliação da exposição de qualquer trabalhador do grupo seja representativo da exposição do restante dos trabalhadores do mesmo grupo. (IN 01 – Anexo 13-A, NR 15 e NR-22, item 22.17.11).
  • Exposição Diária Típica – Exposição avaliada em uma jornada em que as condições operacionais (rotinas e tarefas) e ambientais (processos de geração de agentes ambientais e condições que interferem em sua intensidade ou concentração) são consideradas habituais e em torno de médias históricas de observação. São fatores (temporários) de exposição ATIPICA, dentre outros:
    • Aumento do ritmo de trabalho, mudanças de procedimentos, freqüência de tarefas;
    • Aumento ou queda de produção, mudanças de tecnologia, mudanças de materiais, experimentos, paradas, emergências.
    • Variação de parâmetros de processo que interferem na geração de agentes ambientais;
    • Fontes não usuais, como geradas por manutenções, transportes, obras civis, atividades extra-empresa;
    • Desligamento de sistemas de ventilação, mudanças físicas que promovam aumento ou redução da ventilação natural, condições climáticas extremas (não sazonais);
    • A definição de uma jornada típica é ação de julgamento do profissional de higiene ocupacional.

Um dado importante nas amostragens de ruído é quanto à calibração dos equipamentos utilizados, vistos que todo equipamento de medição terá uma incertezas e erros que poderão ser minimizados com a realização de calibração “in loco” e a calibração em laboratório, credenciado pela Rede Brasileira de Calibração – RBC.

Limites de tolerâncias e ajustes que devem ser inseridos nos Audiodosimetros de Ruído

NR 15 – Anexo 1, NHO 01, INSS e ACGIH
Normas Critério Level
(CL)
Threshold Level
(TL)
Exchange Rate ou Fator duplicativo
(FDD)
Upper Limit
(UL)
100% da DOSE acima deste nível torna-se insalubre Onde o aparelho inicia a mensurar Fator de duplicação da DOSE Risco eminente
ACGIH 85 8h 80 3 Leq 139 dB(A)ou 140 dB(C)
FUNDACENTRO – NHO 01 85 8h 80 3 Leq 115 dB(A)continuo ou intermitente
130 dB(C) (fast)
impacto
INSS – NHO 01 85 8h 80 3 Leq 115 dB(A)
NR-15 85 8h 80 5 Lavg 115 dB(A)

Formula para u Calculo de Leq e LAVG

Onde:
LC= É o nível de critério utilizado (85 pela norma Brasileira);
% Dose= É o valor em dose fornecido pelo aparelho;
Tc = é a constante de tempo em 8 horas;
T= É o tempo de medição efetivo;
N= É o valor padrão para cada norma (para NR 15 utiliza-se “16,61” e para NHO 01 ou ACGIH utiliza-se “9,96”)

Exemplos de valores de set-up dos audio-dosimetros são os seguintes:
Conforme Norma Regulamentadora 9, 15, NHO 01 e ACGIH:
Incremento de Duplicação de Dose (exchange rate): 3 e 5 dB(A)
Nível Limiar de Integração (Threshold level): 80 dB(A)
Critério de Referência (Criterion level): 85 dB(A) – limite de tolerância para 8 horas de exposição pela NR-15, Anexo 1,quem se equivale a 100% da dose para 8 horas.
Circuito de ponderação: A
Circuito de resposta: Lenta (slow)